terça-feira, 4 de maio de 2010

Introdução a uma conversa sobre Homilética

Tenho uma enorme dificuldade com pregação, por vários motivos, eu tentarei expô-los enquanto produzo uma (mera) reflexão.

(Reflexão é produzida ou ocorre naturalmente? :)

Homilética é a disciplina que descartaria da "minha" grade. Destaco com aspas porque reconheço, sim, a sua importância no curso de Teologia, seja qual for o objetivo, seja ele missionária(o), acadêmica(o)- teóloga(o)- ou/e principalmente, o que neste caso considero fundamental, pastor(a). Pois não gosto de afirmar algo como sendo a voz de Deus.

Se Deus me revelasse algo numa visão, ou normalmente por meio da leitura bíblica mesmo, e eu tivesse a convicção de que aquela lição, pensamento, reflexão e orientação tivesse de se ser partilhada, pois é a vontade de Deus, acredito que não teria problemas.

Desta maneira não existe a possibilidade do erro, ou seja, em nada (por ser a porta-voz de Deus) poderia prejudicar alguém, nem com exageros teológicos, ou com a minha cosmovisão (como costumo ver, principalmente nas disciplinas sociais e antropológicas), ou ainda por meio do "meu óculos" estabelecer regras de fé e conduta que mais são a minha interpretação (pessoal e/ou coletiva), do que as palavras de Deus propriamente dita.

Nestes dois semestres e meio que assisto aulas de Comunicação e Pregação (ensina-se basicamente Homilética) penso e repenso a respeito da retórica, da arte de discursar a "Palavra de Deus". Assim, acho que preciso redigir estas palavras para organizar o que está em minha mente e definir, mesmo que temporariamente, a minha posição, o meu pensamento, a respeito da pregação.

Obs: Escrevo para receber críticas, sei que meu raciocínio aos olhos da grande maioria membro de igrejas denominadas evangélicas, católicas romanas, e também, para alguns colegas estudantes de Teologia, para os pastores e pastoras em geral, estou errada, equivocada, por isso, tento "abrir este espaço" para discussões.

Um comentário:

carlos disse...

De fato, acho que a hermenêutica precede a homilética mas como estamos falando pregação, ensinamento, uma coisa não pode se dissociar da outra. Se você tem o dom de anunciar, amém! porém se não o tem trate obtê-lo.
E conhecimento nunca é demais.

Concordo que a inspiração pode produzir bons resultados mas considero relaxo esperar sempre por inspiração.

lembrando que esta é só mais uma opinião, que também pode ser comentada.
Deus abençoe!